СНПЧ А7 Омск, обзоры принтеров и МФУ

 

No livro “Sobre a Filosofia Universitária”, Artur Schopenhauer, filósofo alemão do século XIX não mede palavras ao discutir sobre o ensino da filosofia dentro das universidade alemãs. Schopenhauer arrasa com tudo e com todos. Atacando o Estado, a religião, a instituição de ensino, os professores, os filósofos e o ensino da filosofia de sua época, Schopenhauer grita aos quatros cantos da Alemanha que a filosofia precisa proclamar sua independência.

 

De dentro do sistema universitátrio, ou seja, de dentro do sistema estatal, visto que, a universidade esta totalmente comprometida com o Estado, Schopenhauer como um vírus parte para cima dos professores de filosofia e dos filósofos atacando-os ferozmente e condenando-os por sua práticas. Para Schopenhaeur os professores de filosofia estão muito longe da criação filosófica e ao contrário de permitir a realização filosófica, esses servidores acabam por impedir o movimento da filosofia e do pensamento.

 

Para Schopenhauer, o ensino da filosofia não deve estar comprometido com o Estado. E nem este deve controlar o ensino da filosofia, ditando o que deve ou não ser ensinado.

 

Com relação ao papel da filosofia, deve esta, estar preocupada coma busca da verdade e da criação. Para Schopenhauer a filosofia deve ter a tarefa realizadora de libertar os homens da ignorância e do dogamtismo. Assim, ela estando comprometida com o Estado ou até com a religião, acaba por fazer o papel contrário da qual seria sua verdadeira função.

 

O ensino da filosofia deveria ter como compromisso o parendizado da historia da filosofia e dos filósofos e assim, despertar o estudante para um mundo em que ele possa se sentir livre para criar e pensar. No entanto, o que Schopenhaeur percebe é que em sua época os professores de filosofia se tornaram funcionários de Estado, homens burocratas que impedem o pensamento e os filósofos de sua época filosofos mercenarios.

 

Esse livro nos leva a refletir a nossa atualidade e nos remete as salas de aula na universidade e do ensino médio nos forçando a levantar algumas questões: Como ensinar filosofia?; Para que ensinar filosofia?;Qual deve ser o papel do professor de filosofia?; Como é ensinado a filosofia para os futuros professores de filosofia?