Tema: O movimento na Filosofia Antiga

Tópicos

Problematização

1- Breve considerações acerca do movimento nas ciências.

1.1- O movimento na física (mecânica, cinemática).

1.2- Elucidar os principais princípios dos estudos de Galileu e Newton sobre o movimento.

 

Promover a reflexão de questões interdisciplinares.

Identificar com os alunos de que forma o movimento se relaciona na filosofia e na física, mostrando as semelhanças e diferenças dos pensamentos dessas disciplinas.

2- Introdução ao pensamento de Heráclito.

2.1- Localizar em que contexto Heráclito estava inserido na História da Filosofia.

2.2- Apresentar os principais aspectos da filosofia de Heráclito.

2.2.1- A afirmação da unidade fundamental de todas as coisas.

2.2.2- Todas as coisas estão em movimento.

2.2.3- O movimento através dos contrários.

2.2.4- O fogo como elemento primordial.

2.2.5- A noção de Logos.

Apresentar a metáfora do rio, o fragmento mais famoso de Heráclito (fr.91).

Apresentar o que era realidade para Heráclito.

Mostrar a relação entre movimento e mudança/diferença.

Demonstrar de que forma relacionar a afirmação da unidade para Heráclito com o movimento. (A unidade na pluralidade).

Perguntar aos alunos qual é o elemento da natureza que para Heráclito representa o movimento.

2- Introdução ao pensamento dos eleatas.

2.1- Localizar em que contexto estavam inseridos na História da Filosofia.

2.2- O pensamento de Parmênides

2.2.1- Caracterização do movimento como aparente.

2.2.2- A realidade como única, imóvel, eterna e imutável.

2.2.3- Busca da verdade como aquilo que permanece na mudança.

2.3- Os paradoxos de Zenão.

2.3.1 - O paradoxo de Aquiles.

2.3.2 - O paradoxo da Flecha.

Introduzir o texto Poema de Parmênides e sua afirmativa principal. “O ser é, o não-ser não é”.

Discutir quais são as características do ser.

Elucidar de que modo Parmênides introduz a distinção entre realidade e aparência.

Parmênides como “fundador” da metafísica.

Esclarecer a impossibilidade do movimento através dos paradoxos de Zenão, fazendo paralelo com o Cinema.

De que maneira Zenão constrói seus argumentos.

Discutir os paradoxos de Zenão a partir do senso comum e da experiência.

3- Contrapor o pensamento mobilista do pensamento monista. (Heráclito x Parmênides).

Identificar e discutir junto com os alunos as diferenças na concepção monista de Parmênides se contrapõe a concepção mobilista de Heráclito.

Perguntar aos alunos qual pensador parece ter o melhor argumento a fim de “vencer” a discussão.

Bibliografia
BORNHEIM, Gerd A. Os Filósofos Pré-Socráticos. Editora Cultrix, São Paulo, 2007.
CHAUI, Marilena. Convite à Filosofia. Editora Ática, São Paulo, 2000.
COSTA, Alexandre. Heráclito: fragmentos contextualizados. Editora Difel, Rio de Janeiro, 2002.
MARCONDES, Danilo. Iniciação à História da Filosofia – Dos pré-socráticos a Wittgenstein. Rio de janeiro, Jorge Zahar Ed., 2004.