СНПЧ А7 Омск, обзоры принтеров и МФУ

 

Objetivo geral: ressaltar o vínculo direto entre ética e política no mundo antigo, apontando o papel da construção de uma vida ética na democracia ateniense;

 

Tópicos:

Problematização:

1. Significado de ética para os alunos

1.1 Ponto de partida: Relação entre ética e política.

Objetivo: levantar as várias concepções do senso comum sobre a ética.

 

  1. O que os alunos lembram ao discutir ética?

  2. O que significa ética para os alunos?

  3. Quando e como surgiu a ética?

  4. Porque ao se discutir ética, discutimos política?

 

2. Ética na nossa sociedade

2.1 Ponto de partida: Tentar definir o que é ética.

2.2 Roteiro: Procurar no dicionário da língua portuguesa e no dicionário filosófico a definição de ética.

Objetivo: Estimular a capacidade de análise e síntese dos alunos. Contextualizar a ética no cotidiano e na sociedade. Discutir o valor da ética nos dias de hoje.

 

  1. Qual a relação desta definição com o que acreditávamos que seria ética?

  2. A relação da ética com a moral, a lei, o decoro e os valores da sociedade. A ética é útil?

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Tópicos:

Problematização:

3. O surgimento da ética

3.1 Ponto de partida: As diferenças e semelhanças entre a concepção antiga e contemporânea.

3.2 Roteiro: Início da polis grega: formação e organização das cidades-estado.

Política na polis: discutir como funcionava a política na polis e quem eram os cidadãos.

Objetivo: Contextualizar e introduzir o local e os primórdios do conceito de ética no pensamento.

 

  1. Quando surgiu a ética?

  2. Porque a ética surgiu na Grécia?

  3. O que era ética?

  4. Como era a política?

  5. Quem eram os cidadãos?

 

4. Ética em Aristóteles

4.1 Ponto de partida: Qual a concepção ética de Aristóteles?

4.2 Roteiro: Política e os cidadãos para Aristóteles: a concepção do autor sobre tais temas (homem-político etc).

O homem prudente: discutir o conceito fundamental de justa medida em Aristóteles.

Objetivo: Familiarizar o aluno com a concepção de ética de Aristóteles.

 

  1. Discutir sua validade e contextualização presente. Quando e para quem Aristóteles escrevia?

  2. A definição de Aristóteles é objetiva ou subjetiva?

  3. Conseguiríamos conviver bem em sala de aula somente com a ética aristotélica?

  4. E fora de sala?

 

 

 

 

 

 

 

 

Problematização:

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

 

Item 1: Matérias de jornal e revista onde aparecem políticos e a discussão ética.

 

 

 

Item 2: FERREIRA, A. B. de H. Novo Dicionário da Língua Portuguesa. Rio de Janeiro, Nova Fronteira, s/d/p.

 

SANTOS, M. F. dos. Dicionário de Filosofia e Ciências Culturais. 3. ed., São Paulo, Matese, 1965.

 

 

 

Item 3: ARANHA, MARIA e MARTINS, MARIA. Temas de Filosofia. 1996, 1ª edição, Moderna

 

FINLEY, Moses I. Democracia antiga e moderna. Rio de Janeiro: braal, 1988.

 

LIMA VAZ, Henrique C. Escritos de filosofia IV: introdução à ética filosófica. São Paulo: Loyola, 1999.

 

 

 

Item 4: ARISTÓTELES. Ética a Nicomaco. São Paulo: Nova Cultural, 1996.

 

ARISTÓTELES. Política. Tradução do grego, introdução e notas de Mário da Gama KURY. 3ª ed. Brasília: UNB, 1997.

 

 

 

 

 

 

Ética e Moral

 

Objetivo geral: Pontuar as diferenças entre ética e moral e a ruptura realizada pela modernidade.

 

 

 

Tópicos:

Problematização:

1. Diferenças entre ética e moral.

1.1 Ponto de partida: Concepção e significados de ética e moral.

Objetivo: Pontuar as diferenças entre ética e moral e o papel que a moral exerce na vida dos alunos.

 

  1. Qual significado de Ética e Moral?

  2. Qual importância que elas exercem?

 

2. Conceitos sobre moral na modernidade.

2.1 Ponto de partida: moral segundo Descartes, Berkeley, Locke e Hume.

3.1 Roteiro: Abordagem dos novos rumos morais com o renascimento. Posição dos autores sobre o tema.

Objetivo: Dadas às concepções morais dos autores, discutir os valores e suas aplicabilidades.

 

  1. Os conceitos morais modernos ainda têm suas funcionalides?

 

  1. Houve alguma ruptura entre os conceitos modernos com a contemporaneidade?

 

3. Moral Kantiana.

3.1 Ponto de partida: Definir os conceitos da moral kantiana e aplicabilidade em nossos dias.

3.2 Roteiro: Abordar a filosofia moral kantiana a luz do Imperativo categórico.

Objetivo: Fazer entrelaçamento entre o imperativo categórico nos dias de hoje.

 

  1. A moral kantiana se aplica nos dias de hoje?

 

  1. Existe moral única e geral, que explica todas as outras obrigações morais que temos?

 

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

 

Item 1: HABERMAS, J. Consciência moral e agir comunicativo; trad. Guido A. de Almeida. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1989.

 

 

 

Item 2: BRÉHIER, É. História da filosofia moderna. São Paulo. Mestre Jou, Tomo II (A filosofia Moderna), 1997.

 

 

 

Item 3: Kant, I. Fundamentação da Metafísica dos Costumes - 12.º Ano. 2006 Lisboa Editora.

 

 

 

 

 

 

  • Ética e democracia moderna

 

Objetivo geral: analisar os princípios éticos que norteiam a democracia liberal representativa.

 

 

 

Tópicos

 

1. Democracia antiga versus Democracia moderna

 

1.1 Ponto de partida: Como se representar ou como ser representado politicamente na democracia antiga (ateniense) e na democracia moderna.

 

1.2 Roteiro: Particularidades de democracia direta e da democracia representativa.

 

Objetivo: capacitar os(as) educandos(as) a compreender a historicidade dos conceitos de democracia.

 

Problematização: Quais as mudanças quanto à participação política dos indivíduos nos assuntos públicos?

 

 

 

2. Mudanças da ideia de Espaço público: Ágora e rua

 

2.1 Ponto de partida: Os lugares da representação e do debate público.

 

2.2 Roteiro: Papel da Ágora e o papel da rua na discussão política.

 

Objetivo: Analisar a centralidade da Ágora e a marginalização da rua nas democracias antiga e moderna, respectivamente, a fim de problematizar a iniciativa de privatização/virtualização da manifestação política (Orkut, twiter etc.).

 

Problematização: Por que a rua tem sido considerada como um lugar de risco à vida, aos ‘bons’ costumes e à ‘boa’ cidadania?

 

 

 

3. Lei e Direitos

 

3.1 Ponto de partida: o Contrato Social firmado entre Estados e Indivíduos.

 

3.2 Roteiro: A lei como limitadora da conduta humana na constituição do Estado democrático.

 

Objetivo: Mostrar como as noções de lei e de direitos nasceram na modernidade, bem como aquilo que visavam a instituir.

 

Problematização: A lei é mesmo a vontade geral da população? Quando o Estado não cumpre a sua parte no contrato social, como o cidadão pode ou deve agir? Há alguma ética na lei? A lei só proíbe?

 

 

 

 

 

4. Compromisso ético na democracia moderna

 

4.1 Ponto de partida: O compromisso entre indivíduos como algo além do respeito à lei.

 

4.2 Roteiro: A vida em comum antes da instituição das leis; as leis como expressão da ética.

 

Objetivo: Refletir com os(as) educandos(as) sobre a necessidade de um compromisso ético para a promoção da convivência humana, não se resumindo à perspectiva legalista do medo da punição.

 

Problematização: Agir por princípios éticos ou agir por medo da punição legal?

 

 

 

 

 

BIBLIOGRAFIA BÁSICA:

 

Matérias de jornal e revista que tematizem a democracia e a cidadania.

 

 

 

BOBBIO, Norberto. Liberalismo e democracia; tradução Marco Aurélio Nogueira. São Paulo: Brasiliense, 2006.

 

 

 

CARVALHO, José Murilo de. Cidadania no Brasil: o longo caminho. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 20007.

 

 

 

Declaração Universal dos Direitos do Homem e do Cidadão (1789). Disponível em:

 

<http://www.direitoshumanos.usp.br/counter/Doc_Histo/texto/Direitos_homem_cidad.h

 

ml>. Acesso em 17 de maio de 2009.

 

 

 

Declaração Universal dos Direitos Humanos (1944). Disponível em: <http://www.mj.gov.br/sedh/ct/legis_intern/ddh_bib_inter_universal.htm>. Acesso em:

 

17 de maio de 2009.

 

 

 

RIBEIRO, Renato Janine. A democracia. 2ª ed. São Paulo: Publifolha, 2005.