Objetivo: Focalizar na história da filosofia, o deslocamento de interesse da Filosofia da natureza para o homem, e ao mesmo tempo desconstruir a idéia desvalorizada que muitas vezes é atribuída ao movimento sofista, de maneira generalizada.

 

 

 

Tópicos:

 

  1. O movimento sofista

  2. Os mestres: Protágoras, Górgias, Pródico

  3. Erísticos e Sofistas-Politicos

  4. Corrente naturalista da Sofística

 

Problematização:

 

1. Inserir historicamente o movimento sofista, colocando as mudanças sociopolíticas que o favoreceu.

 

2. Introduzir a sofística como uma nova problemática filosófica, que desloca a área de interesse da natureza para o homem.

 

3. Apresentar os diversos grupos sofistas, e as diversas posições assumidas.

 

 

 

Protágoras

 

  1. Relativismo

  2. Virtude

 

Problematização

 

  1. Expressar o sentido do axioma “o homem é a medida de todas as coisas”.

  2. A habilidade de saber fazer prevalecer o argumento como virtude.

 

Górgias

 

  1. Niilismo

  2. Retórica

 

Problematização

 

1.Verificar a teoria filosófica gorgiana que admite o ser não existir, e portanto será nada.

 

2. A retórica como qualidade, na arte da persuasão.

 

Pródico

 

  1. Sinonímia

  2. Ética

 

Problematização

 

1. Provável influência da sofística no método socrático, que busca as essências das coisas e seus significados, pelo uso do “o que é”.

 

2. Apresentar a interpretação dos deuses como hipostatização do útil e vantajoso.

 

 

 

Os Erísticos e Sofistas-políticos

 

  1. Dilemas insolúveis

  2. Política como vantagem

 

Problematização

 

  1. O discurso como construção de sentidos polivalentes.

  2. Abordar os resultados deteriorados da Sofística, principalmente na política.

 

 

 

A corrente naturalista da Sofística

 

1. Hípias de Élida

 

2. Antifonte

 

Problematização

 

  1. Nascimento do direito natural e direito positivo

  2. Igualdade entre os homens, perante uma lei que é da natureza.

 

 

 

Referências bibliográficas

 

REALE, Giovanni, ANTISERI, Dario. História da filosofia: filosofia pagã antiga, v. 1. tradução Ivo Stormiolo – São Paulo: Paulus, 2003.