СНПЧ А7 Омск, обзоры принтеров и МФУ

Conete Filosofia – 2ª Ed. 2014

COTRIN, Gilberto; FERNANDES, Mirna Gracinda. Saraiva.

 

Filosofia e Ensino Médio: Certos Porquês, Alguns Senões, Uma Proposta.

CORTELA, Mário Sérgio. Editora Vozes

 

Dez Lições de Filosofia Para Um Brasil Cidadão

DIMENSTEIN, Gilberto. FTD

 

Vivendo a Filosofia

CHALITA, Gabriel. Atica.

 

Filosofia Temática

COTRIN, Gilberto. Saraiva.

 

Conete Filosofia – 2ª Ed. 2014

COTRIN, Gilberto; FERNANDES, Mirna Gracinda

 

Para Filosofar

LAPORTE, Ana Maria; SCHLELSENER, Anita Helena; CORDI, Cassiano. Scipicione.

 

Um outro olhar - Filosofia

SOUZA, Sônia Maria Ribeiro de. FTD.

 

Filosofia: Leituras, Conceitos e Interação

SPINOLA, Siomara Sodré. Leya Didáticos.

 

Filosofando: Introdução à Filosofia

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Moderna.

 

Filosofia: Experiência do Pensamento

GALLO, Silvio. Scipicione.

 

Filosofia: Por Uma Inteligência da Complexidade

MEIER, Celito. Pax Editora

 

Iniciação à Filosofia

CHAUÍ, Marilena. Ática.

 

Filsofia e Sociologia

CHAUÍ, Marilena; OLIVEIRA, Persio Santos de. Ática.

 

Filosofia no Ensino Médio: Temas Problemas e Propostas.

SILVEIRA, Rene Jose Trentin; GOTO, Roberto. Loyola.

 

Filosofia: Investigando O Pensar.

NOGUEIRA, Nonato; GADELHA, Paulo. Edjovem.

 

Convite à Filosofia

CHAUÍ, Marilena. Ática.

Filosofia: Ensinar e Aprender

FERRARI, Sônia Campaner Miguel. Saraiva.

 

Filosofia

SOUZA, Denilson dos Santos de. Editora do Brasil.

 

Filosofia e Cidadania

MARINA, José Antônio. SM.

 

Análise de alguns dos livros acima apresentados

 

Filosofia: Experiência do Pensamento

GALLO, Silvio. Scipicione.

 

Filosofia: Experiência do Pensamento, é o livro didático do autor Silvio Gallo, grande pesquisador do anarquismo, principalmente vinculado à Educação. Daí, podemos esperar um livro que estimule o livre pensamento do educando, que se utilize da filosofia como instrumento de formação do sujeito. E não é diferente, Experiência do Pensamento apoia-se na vertente de que filosofar é criar conceitos, como pretendia Gilles Deleuze. Além deste, são de grande importância para a construção deste livro os pensadores Michel Foucault e Felix Guatari.

Mescla-se a abordagem de temas filosóficos com a história da filosofia, tudo isto em linguagem acessível aos jovens, e com a devida remissão a textos, filmes, livros, sempre com o objetivo de auxiliarem o “iniciado” do ensino médio.

Acredito que seja um livro adequado ao que se propõe, devendo por isso ser utilizado como um material de apoio ao professor de filosofia.

 

 

 

 

Iniciação à Filosofia

CHAUÍ, Marilena. Ática.

 

Este é um livro bastante interessante pois, logo no início do primeiro capítulo, ao invés da autora introduzir algum texto filosófico ou começar propriamente pelo nascimento da filosofia, cita o filme Matrix. Esta estratégia pode aguçar o interesse do aluno pela Filosofia, além de ser uma ótima introdução por este estar inserido no cenário pop e ser uma metáfora bastante interessante da busca pelo saber verdadeiro, do mito da caverna platônico, da citação do oráculo de Delfos, “conhece-te a ti mesmo”.

O livro é temático e trabalha com duas unidades, a saber: a A Atividade Teórica, onde são estudados temas como metafísica, o conhecimento e a verdade, e a A Atividade Prática, onde são estudados a estética, a liberdade, a experiência, entre outros temas.

Chauí passeia por todas as épocas da Filosofia, para mostrar como os autores pensavam cada tema. Assim, facilita a assimilação do aluno e estimula o pensamento crítico, ora os questionando, ora dando dicas de filmes, obras de artes e textos filosóficos para que os próprios busquem conhecer mais sobre esta fascinante disciplina. Um bom livro para ser utilizado como material de apoio do professor.

 

 

Dez Lições de Filosofia Para Um Brasil Cidadão

DIMENSTEIN, Gilberto. FTD

 

É um livro tradicional, que busca relacionar fatos históricos com conceitos e pensamentos filosóficos a fim de proporcionar a reflexão e a cidadania do formando do ensino médio. Ora, o título do livro já propõe uma ideologia, o que, paradoxalmente, vai totalmente contra a proposta de uma reflexão crítica, de um estímulo à especulação e à criação intelectual. Ao ser dado no que se pretende, Dimenstein tira a autonomia e a possibilidade do educando de pensar os fatos de uma forma diferente. E sem contar que, o livro foi escrito por um jornalista, tendo como consultores uma filósofa e um historiador. Isso prejudica e muito a apreensão do aluno de que a filosofia é uma disciplina autônoma.

Não creio que o livro seja adequado para o Ensino Médio, e não recomendo seu uso para sala de aula por não ser um livro propriamente filosófico.