СНПЧ А7 Омск, обзоры принтеров и МФУ

Introdução

 

Um método adequado para introduzir a filosofia no ensino médio é tentar desenvolver um senso critico e reflexivo nos jovens e ao mesmo tempo despertar o interesse deles para a filosofia, o que deve ser ensinado em sala de aula é o próprio "esquema" do filosofar, a filosofia propriamente e não a discussão de certos temas que não considerados filosóficos, também é interessante, em alguns momentos, discutir temas que os alunos tenham um interesse especifico, mas buscar por trás daquilo questionamentos e caminhos filosóficos. O filosofar é próprio do homem, mas como tornar isso claro para um jovem que vive num mundo de imediatez e pouca reflexão? Um bom livro didático de filosofia deve ter como objetivo desenvolver a capacidade de reflexão do jovem, assim como tratar dos temas e das ideias filosóficas de uma forma que não seja um bloco de pensamento imóvel que só deve ser transmitido e assimilado, um bom professor e um bom livro deve desenvolver as ideias e os temas com os alunos, ao invés de transmitir um bloco de conhecimento que parece alheio ao mundo, por isso, o professor deve falar da historia da filosofia, mas não como um historiador, ele deve caminhar com o aluno na própria reconstrução das ideias. Avaliei os livros didáticos escolhidos a partir dessa perspectiva, mostrar que os problemas filosóficos são atuais e totalmente relevante é uma questão fundamental para atrair o interesse dos jovens, mas é claro que para isso, os livros devem apresentar conceitos coesos, assim como apresentar a historia da filosofia para o aluno poder construir uma base.

 

Lista com 20 livros didáticos usados no ensino da filosofia para o Ensino Médio:

 

CHAUÍ, Marilena. FILOSOFIA – SERIE NOVO ENSINO MEDIO – Ensino Nédio – Integrado. Ática Editora, 2008.

 

MARINA, José Antônio - Filosofia e Cidadania - Ensino Médio. SM, 2010.

 

SOUZA, Vinicius dos Santos. Filosofia - Coleção Ensino Médio - Volume Único. Editora Do Brasil, 2011.

 

COTRIM, Gilberto; FERNANDES; Mirna. Filosofar - Volume Único. Saraiva, 2014.

 

CHALITA, Gabriel. Vivendo a Filosofia. Ática Editora, 2011.

 

COTRIM, Gilberto; FERNANDES.  Fundamentos da Filosofia: História e Grandes Temas. Saraiva, 2006.

 

BAHIA, Bruno. Filosofia - Volume Único. Positivo, 2013.

 

COTRIM, Gilberto; FERNANDES. Filosofia - Volume Único. Saraiva, 2008.

 

COTRIM, Gilberto; FERNANDES, GRACINDA, Mirna. Conecte Filosofia - Ensino Médio. Saraiva, 2014.

 

ARANHA, Maria Lúcia; MARTINS, Maria Helena. Filosofando: Introdução à filosofia. Moderna, 2003.

 

GALLO, Sílvio. Filosofia: Experiência do Pensamento. Scipione, 2013

 

MEIER, Celito. Filosofia: Por uma Inteligência da Complexidade. Pax Editora, 2013.

 

CORDI, Cassiano. Para filosofar. Scipione, 2007.

 

SOUZA, Sonia Maria Ribeiro. Um Outro olhar: filosofia. FDT, 1995.

 

SÁTIRO, Angélica;  WUENSCH, Ana Mírian. Pensando melhor: iniciação ao filosofar . Saraiva, 2003.

 

SEVERINO, Antônio Joaquim. Filosofia. Cortez, 2007.

 

CHALITA, Gabriel. Vivendo a Filosofia. Ática, 2009.

 

MARIA, Antônio José. Filosofia e Cidadania – Ensino Médio – Vol. Único. SM, 2010.

 

BIGHETO, Alessandro Cesar; INCONTRI, Dora. Filosofia Construindo o Pensar – Vol. Único. Escala, 2011.

 

HEERDT, Mauri Luiz. Construindo Ética e Cidadania Todos Os Dias - Ens. Médio - Col. Filosofia - o Início de Uma Mudança. Sophos.

 

Livros didáticos avaliados nesse trabalho:

                             

COTRIM, Gilberto; FERNANDES.  Fundamentos da Filosofia: História e Grandes Temas. Saraiva, 2006.

 

O autor desse livro é formado em historia e cursou filosofia, o conteúdo do presente no livro é abordado de forma histórica e temática, é dividido em três unidades intituladas de: "fazer filosofia", "historia da filosofia" e "grandes temas atuais". A unidade 1 funciona como uma introdução ao mundo da filosofia, o autor parte de temas que fazem parte da vida do aluno, temas como o humano, cultura, trabalho e etc., e assim introduz o questionamento filosófico a temas "comuns", a cada começo de unidade, é introduzida uma citação de algum pensador que é o assunto chave da unidade, essa abordagem é interessante, porque a filosofia não é introduzida por questões totalmente desconhecidas e esses temas são explicitados sob a luz de ideias e reflexões filosóficas. Os temas falados nessa unidade são recorrentes na historia da filosofia, a reflexão sobre o humano, liberdade, teoria do conhecimento e etc estiverem sempre presente na cabeça dos grandes pensadores. É nessa primeira unidade que temas e conceitos centrais para a filosofia são apresentados aos alunos e o desenvolvimento do senso critico nessa unidade, será importante para o jovem compreender o restante do livro, o autor mostra, o "papel", do conhecimento filosófico, se é que podemos falar assim,  ele serve para questionar e para isso são necessárias desconstruções.

A unidade 2 apresenta uma abordagem da historia da filosofia, antes das principais ideias dos filósofos serem apresentadas, é inserido uma ideia geral do que seria a corrente filosófica que aquele filosofo faz parte, além de ser introduzido um contexto social-histórico da época, o que facilita o aluno a compreender o que levou aquele personagem a formular certo tipo de pensamento, o aluno pode entender mais facilmente as ideias dos filosóficos e não apenas decora-las dessa forma.

A unidade 3 intitulada de "grandes temas atuais" e sob a luz da reflexão filosófica, das principais correntes da filosofia são abordados diferentes temas que abalam a nossa época, o interessante é que essa unidade não trabalha apenas com filósofos contemporâneos, isso mostra que há questões que são frequentes desde os primeiros pensadores e essas questões vão mudando de roupagem ao longo dos anos, por exemplo, a questão da verdade, essa unidade parece ser uma "mistura" das duas unidades anteriores, e mostra enfaticamente que os problemas filosóficos tem relevância para a vida.

Com relação a metodologia o livro me pareceu excelente, há muitas questões para os alunos responderem com relação ao conteúdo estudado, e no fim de cada assunto abordado encontramos um espaço de "analise e entendimento", debate, e reflexão, além de alguns trechos de textos de alguns filósofos. O livro possui uma estética muito didática e clara, as imagens presentes no livro ajudam na compreensão dos conteúdos e grande parte delas foram feitas por artistas renomados, o livro possui uma interdisciplinadade, por exemplo, com a arte, e também estende seu conteúdo para aspectos informais, vemos isso nas constantes sugestões de filmes. A abordagem do livro é bastante atual, o autor busca mostrar que a filosofia tem importância e isso é essencial para despertar o interesse dos jovens, o livro possui textos que falam sobre a relevância das ideias estudadas, sua linguagem é clara e concisa, os exercícios propostos nos livros desenvolvem o senso critico, a reflexão e a escrita do aluno, esse livro não introduz apenas a historia da filosofia para os jovens, mas os insere na constituição do próprio pensar.

 

CORDI, Cassiano (e vários autores). Para filosofar. Scipione, 2007.

 

O livro possui uma abordagem temática, a historia da filosofia não é excluída nessa abordagem, mas o objetivo principal é chamar a atenção para temas atuais e mostrar que a filosofia está por traz desses diversos temas. O livro apresenta sucintamente alguns filósofos aos alunos, mas não de maneira cronológica.

O livro foi escrito sob a luz da filosofia politica, que segundo os autores, abarca diferentes aspectos do humano, como, artes, ciência, critica a sociedade e etc. e tem como objetivo desenvolver a cidadania e o desenvolvimento do pensamento ético. O livro possui uma grande critica a nossa sociedade atual, ao papel que a ciência tem hoje e suas consequências para a humanidade, o objetivo do livro parece ser o de transformar o olhar do aluno com relação a sociedade e os problemas atuais, os autores acreditam que a filosofia possui um poder de transformação que é refletido na sociedade. Esse livro possui uma metodologia mais dinâmica, articula os conceitos clássicos, com temas contemporâneas, e apesar da abordagem temática o livro é estritamente filosófico, ou seja, os temas são levantados a partir de uma abordagem filosófica e tem bastante conteúdo sobre a historia da filosofia (de forma não-cronológica). A linguagem do livro é clara, e o livro apresenta um vasto roteiro de estudos, com questões para os alunos responderem, além de temas para refletir e debater e alguns textos originais de diversos pensadores, no final do livro é oferecido um resumo sobre quem foram alguns pensadores importantes para a historia da filosofia, o livro possui muitas imagens e sugestões de livros e filmes, ou seja, muitas referencias para os aluno que queiram expandir o conhecimento para além do livro em questão, o livro também é muito interdisciplinar e isso é reflexo dos seus colaboradores que possuem formação em diversas aéreas diferentes, não só a filosofia. Excelente livro para professores que queiram abordar a filosofia a partir de questões que nos deparamos na atualidade e que envolvem muitas questões filosóficas.

 

MEIER, Celito. Filosofia: Por uma Inteligência da Complexidade. Pax Editora, 2013.

 

 

Este livro aborda a filosofia de maneira temática, possui temas que podemos chamar de “intrinsicamente filosóficos”, como: o devir, determinismo e liberdade; mas também relaciona as questões filosóficas com problemas “imediatos”, problemas que os alunos conseguem discutir sem muita dificuldade, qualquer pessoa conseguiria nos dizer o que é o trabalho e quais as suas finalidades, o interessante do livro é que o autor vai problematizar esses temas, mesmo que os alunos tenham uma concepção de trabalho, o livro introduz o “pensando conceitualmente o trabalho” e diversas outras noções.  O livro é dividido em 10 partes e cada parte possui subdivisões que são as unidades, e apesar da abordagem temática, o livro não abandona a historia da filosofia, por exemplo, na parte II o tema é a filosofia em sua origem, o contexto histórico é introduzido, os primeiros filósofos são introduzidos, e, além disso, o autor aborda os principais conceitos e problematizações daquela época, isso é bom porque o aluno consegue pensar na dinâmica de realização das ideias, o autor não acredita que a filosofia é um saber cumulativo, por isso ele trabalha dessa forma, o objetivo dele nesse livro, é mudar a postura de vida do aluno, mudar o olhar que ele tem em relação ao mundo. Filosofia antiga, medieval, moderna e contemporânea são abordadas, mas não de forma linear, não são apresentadas apenas a historia dos conceitos, mas os “motivos” do surgimento de uma determinada problematização, como o mundo estava configurado naquela época, em alguns momentos há uma breve biografia de alguns filósofos. A especialidade do autor é teologia, e vemos uma parte de medieval muito vasta, também possui uma introdução à logica, o que é muito importante para a construção do pensamento filosófico. O livro possui muitas atividades para os alunos, intituladas de “problematizações e atividades”, as obras de arte são utilizadas como ajudantes na reflexão, uma ideia é introduzida num texto e a partir de uma obra que tem relação com essa ideia determinada, o aluno deve desenvolver um trabalho, é comum em diversas unidades aparecem tarefas para o aluno dar a sua opinião, apesar de existir uma tópico sobre senso comum e critico, o autor a partir dessa perspectiva, faz com que a opnião do aluno seja importante e isso acaba desenvolvendo um certo interesse nos jovens O livro é dividido em 10 partes e cada parte possui subdivisões que são as unidades. Também há textos originais de alguns filósofos e no final do livro uma bibliografia de estudos complementares, a linguagem do livro é clara, e achei um bom livro didático, mas como possui muita informação, ele acaba apenas introduzindo os alunos em alguns temas (isso pode ser estratégia para despertar o aluno e fazer com que ele se aprofunde mais) mas nem sempre pode funcionar, o livro poderia ter um “dicionário” conceitual para se tornar mais pratico em algumas ocasiões, mas apesar de suas poucas faltas, o livro é interessante porque não aborda a filosofia como se ela fosse a historia de diversos sistemas já constituídos no qual o professor apenas precisa reproduzir e o aluno decorar tudo.