СНПЧ А7 Омск, обзоры принтеров и МФУ

 

 

 

 

 

Possibilidades genéricas de responder à pergunta pelo sentido do real

 

 

 

REALISMO

RELATIVISMO

 

 

 

  1. Idéia de que a realidade é única, ou seja, uma dimensão concreta, objetiva e absoluta (do latim absolutus = desligado de qualquer relação).

  1. Não existe uma realidade única e acabada, mas muitas e diversas realidades. Não existe um mundo “em si”.

  1. As coisas têm autonomia, subsistem em si e por si.

  1. Só haverá mundo se também existirem seres capazes de compreendê-lo.

  1. As coisas são a medida única à qual nossas palavras e ações devem se adequar para serem consideradas verdadeiras.

  1. Não existe uma medida única para avaliar a veracidade de um discurso, é preciso considerar o contexto, as diferentes perspectivas.

  1. Verdade entendida como adequação, ou a correspondência entre os juízos e as coisas. Os conceitos são tratados como verdades absolutas e eternas.

  1. Não há teoria ou explicação que se possa justificar como absoluta. Verdade compreendida dentro da noção de perspectiva. Os conceitos são estratégias do pensamento para lidar com problemas e ações.

  1. Distingue juízos de valor (proposições que atribuem valores às coisas, ex. “isso é belo”) de juízos de fato (qualidades supostamente inerentes às coisas, independentemente de apreciações subjetivas de gostos e de fins).

  1. A distinção entre juízos de fato e juízos de valor é inválida. Dizer que algo é belo ou útil equivale a dizer que algo é azul ou mede 22 metros. Em todos esses casos, estamos emitindo juízos de valor, já que as cores ou a medida, tais como o metro ou quilograma, também são convenções criadas pelo Homem, do mesmo modo que os critérios de beleza ou de utilidade.

  1. Acredita que a Ciência opera apenas com juízos de fato, alguém que se coloca de fora ou diante de seu objeto, registrando-o de forma neutra.

  1. A Ciência é apenas mais um entre vários modos de interpretação do mundo e não a única, nem a sua melhor descrição.

 

 

 

 

 

  1. As coisas existem po si e são representadas, adequadamente ou não, através das palavras e das imagens.

7. As coisas só existem através da linguagem. As palavras não representam as coisas, as palavras constituem as coisas. Sem palavras e imagens as coisas seriam inacessíveis, seriam nada.

  1. A maior vantagem do realismo é que o universo ganha ordem e tranquilidade. É possível acreditar que haja um certo e um errado absolutos, atuando como referência para nossas decisões.

8. A vantagem do relativismo é a tolerância com a alteridade. Os discursos diferentes não são classificados como erro ou desvio, mas aceitos como discurso da diferença.

  1. A desvantagem do realismo é que ele pode se transformar em um dogmatismo (do grego dógma = uma opinião que é interpretada como uma verdade inquestionável). Todo discurso que for considerado inadequado ao real deve ser corrigido, comntrolado, excluído ou, às vezes, até aniquilado. Tudo o que for diferente da norma estabelecida pode ser visto como desvio ou loucura. Embora nem todo realismo seja dogmático, todo dogmatismo é, em estrito senso, realista.

9. Uma das desvantagens do relativismo é que não há nunca um critério último que dê garantia absoluta para as situações de impasse. Se todas as perspectivas têm igual direito de ser, então é necessário fazer escolhas baseadas apenas nas condições da situação, assumindo os riscos de soluções de validade passageira. Tal atitude exige mais consciência e mais responsabilidade, enfim, é mais trabalhosa.

 

 

 

Observação:

 

O tema está dividido em nove tópicos comparativos entre as duas teorias do real. Neste sentido, para cada aula devemos abordar três tópicos, de modo que possamos dar conta do tema ao longo de três aulas. Os tópicos apresentados serão abordados através de aula expositiva, abertura para o diálogo (perguntas e respostas entre alunos e professor), exposição de exemplos significativos para cada corrrente filosófica, bem como, exibindo imagens artísticas (na arquitetura, na escultura, na pintura, no cinema etc.) que possam sugerir uma ou outra forma de pensar. As imagens serão exibidas através do datashow.

 

Bibliografia:

 

FEITOSA, Charles. Explorando a Filosofia com Arte. Rio de Janeiro: Ediouro, 2004.