(Mephisto, 1981)

• Direção: István Szabó
• Roteiro: István Szabó (roteiro)Péter Dobai (roteiro)Klaus Mann (romance)
• Gênero: Drama
• Origem: Alemanha Ocidental/Áustria/Hungria
• Duração: 144 minutos
• Tipo: Longa-metragem

Sinopse

O filme Mephisto retrata a Alemanha da década de 1930. Um ator provinciano de Hamburgo muito ambicioso e talentoso recebe um convite para atuar em Berlim, ele aceita o desafio e parte para Berlim para apenas compor elenco, entretanto logo ele adquire status e torna-se reconhecido. Entretanto com a ameaça nazista tornando-se cada vez mais real ele percebe que as coisas podem complicar.

Hendrik Höfgen não se preocupa com política ele só vive para atuar, em certos momentos ele fecha seus olhos para não ver a situação política de seu país, ele quer apenas ser ator e famoso, esta é sua ambição.

Entretanto quando ele percebe já está envolvido com o partido nazista, que havia conquistado o poder, e se ver em uma situação complicada, pois já está tão envolvido que não pode recuar. A fama, a glória e o reconhecimento vieram, ele é admirado pelos membros do partido nazista se tornou o ator mais famoso do país, mas o preço foi caro.

 

Hendrik transformou-se em um propagandista da ideologia nazista na Alemanha, mudando totalmente a visão que ele tinha antes, passou a defender um sistema de terror em nome da fama, sua maior ambição.

Com o apoio do governo ele transforma-se em diretor de teatro, e continua fechando os olhos para as atrocidades cometidas pelos nazistas. Por fim ele não pode mais escapar é um nazista defensor dos ideais, a política de sua época o transformou.

Filosofia e Política

Filosofia e política sempre caminharam juntas, a começar por Platão que viu a necessidade de um governante filosofo, pois na concepção platônica só tal poderia governar de forma justa. A política sendo a arte de governar sempre foi disposta em um alto patamar, na Grécia antiga ser político era o maior desejo dos jovens. Neste período qualquer cidadão grego poderia tomar parte das atividades políticas da Polis, não eram considerado cidadãos os escravos, as mulheres e os estrangeiros. Entretanto para obter prestigio na política grega era necessário possuir uma boa oratória, tanto que os jovens com ambição política desde cedo já se dedicavam a estudá-la.

Política a arte ou ciência de governar, é fundamental na organização de toda e qualquer sociedade, não importa se são monárquicas, aristocráticas, democrática etc., somente com um governo forte e saudável pode haver um crescimento da comunidade em questão. Mas uma questão é de suma importância, qual o limite que o governo tem sobre o cidadão, será que ele pode ser ilimitado? Um governo centralizador sempre caminhou para atitudes destrutivas para aqueles que não convergem com o pensamento do governo em vigor.

È neste ponto que a filosofia tem papel fundamental, pois o filosofo sempre foi o questionador, sempre foi aquele que interrogou e que buscou sempre a verdade. Não há como afirmar se o filosofo seria o melhor governante, entretanto ele deve sempre refutar questões que estejam na alçada política.

Na vida política uma palavra que sempre é repetida é ética, e na filosofia encontramos argumentos que legislam sobre as ações a fim de descobrir se elas são morais ou não. Na política também é sempre repetido se algo é justo ou não, Aristóteles na Ética a Nicômaco falava de justiça para ele é justo quem segue a lei e o injusto é quem não a pratica, quem a viola. Para Aristóteles nossas atitudes devem ser sempre para o bem da comunidade política, e tudo que visa esse fim é justo.

A política é fundamental em nossas vidas e a filosofia deve servi de auxilio para a melhor analise e reflexão sobre os assuntos que nos rodeiam, Aristóteles afirma que a política é a ciência pratica que tem por fim o bem propriamente humano, e este é o bem comum no fim quem tem amor pela sabedoria não deixará de lado a ciência que visa o bem da comunidade.

Sendo o homem um animal político, cada individuo tende naturalmente a viver em sociedade (como defendia Aristóteles) ou o lobo do próprio semelhante (como dizia Hobbes) sempre algo será preponderante nessas duas visões políticas, a lei deve ser sempre cumprida ou para que a felicidade seja alcançada ou para que um não destrua o outro, em todas estas questões o que precisa sempre ocorrer é que cada individuo perceba que ele é parte integrante da sociedade e é importantíssima a sua participação.