INTRODUÇÃO:

 

 

 

A escolha do filme aconteceu antes mesmo da temática filosófica. Há muito assisti ao filme ‘Sociedade dos Poetas Mortos’ e nele percebi uma grande possibilidade de mudança. Mudanças que seriam geradas não somente no campo educacional, mas também no campo pessoal. Mudanças estas que, ao meu ver, devem acontecer na vida de todo ser humano, para que nos tornemos melhores e mais capazes, mais audaciosos e críticos. Que nos formemos como seres pensantes sobre tudo e sobre nosso próprio pensar.

 

Este filme garante esta reflexão, e ao analisá-lo pude notar que ele trabalha com o campo filosófico e, além disso, pode ser vinculado também a arte e a ética em determinados momentos.

 

Então pretendo aqui levantar questões educacionais, já que a própria disciplina é um laboratório de ENSINO, e questões filosóficas como estética e ética. Por isso acredito que me permeio entre as opções b e f.

 

 

 

SINOPSE

 

 

 

Direção: Peter Weir

 

Roteiro: Tom Schulman

 

Duração: 129 minutos

 

Gênero: Drama

 

Data: 1989

 

Ambientação: Welton Academy, uma escola tradicional dos Estados Unidos.

 

 

 

Resumo: Em uma escola tradicional dos Estados Unidos meninos são educados a partir de quatro pilares ‘ Tradição, Honra, Disciplina, Excelência’. Pilares que não são por eles seguidos naturalmente, mas por escolhas feitas em maioria pelos pais, que desejando um futuro promissor para seus filhos decidem seus destinos e suas escolhas.

 

Com a chegada de um novo professor de inglês, John Keating, e com suas idéias e métodos de ensino inovadores, conquista os alunos e fortalece neles o desejo por escolhas próprias.

 

O professor Keating motiva neles a vontade de conhecimento, além de garantir que tenham contato verdadeiro com a arte, um contato para além dos ensinamento dos livros.

 

Suas mudanças não serão por todos bem reconhecidas, durante a trama fatores acontecerão, e gerarão uma dolorosa tragédia, que afetará de maneira significativa a todos os alunos, pais dos alunos e a instituição de ensino. Apesar do trágico incidente, uma grande força e um espírito de mudança será estabelecido, e uma grande diferença se realizará na vida daqueles estudantes. Que nunca mais verão o ensino, a arte, e o pensamento da mesma maneira.

 

 

 

FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA

 

 

 

Com a análise do filme podemos notar que importantes questões são levantadas. Uma delas é a questão da Arte. Com a entrada do professor Keating, os alunos passam a compreender a arte de uma maneira diferenciada e dinâmica. Sentindo aquilo que a arte em si mesma pretende transmitir como diz Keating: a essência da vida.

 

Sabemos que pela análise filosófica a arte possui diversas visões, tendo certas vezes uma característica negativa como nos apresenta Platão sobre a arte como enganadora e imitadora de uma realidade, ou como Kant que afirma como papel da Arte, a arte por si mesma.

 

O professor Keating parece seguir na corrente de arte como motivadora e transformadora de vida. Ele procura sempre demonstrar aos seus alunos o caráter revolucionário desta arte, que também deve ser realizada de maneira madura e livre.

 

A arte no filme pode ser observada por diversas expressões, como na atuação, na poesia, na música, e até mesmo na arte de ensinar. A atuação, a música e principalmente a poesia são características que estão ligadas aos alunos, fazem parte deles, mas simplesmente não foram despertadas, nem reconhecidas pelos próprios, até o momento em que Keating com a sua ARTE de ensinar desperta esse ‘feeling’ nos seus alunos.

 

A maneira como ele encoraja os alunos e os métodos que utiliza são próprios de um artista, capaz de resignificar o conhecimento, sem fazer com que ele perca sua importância e relevância.

 

Como Keating demonstra, a arte não é só uma expressão, e ele não está formando apenas artistas, mas sim PENSADORES. Sua arte está vinculada ao processo de questionamento e reflexão, características básicas do processo filosófico de construção de saberes, onde ele exige dos alunos mais que o ‘CARPE DIEM’, exige uma maturidade nas ações ao mesmo tempo em que uma liberdade nas expressões.

 

Ao meu ver ele estabelece esse vínculo com a filosofia de maneira muito peculiar e transparente onde se procura quebrar o rigorismo infundado do sistema sem se perder as forças básicas de conhecimento que esse sistema pode conter.

 

É uma arte criadora e questionadora, e que garante a verdade das expressões, e de uma vida intensa e real.

 

O ponto ético que se pode notar neste filme pode ser analisado em dois pontos ao meu ver. E para melhor entendê-lo elucidarei um momento em específico do filme.

 

Bem no final do filme os alunos são obrigados a depor sobre a existência ou não da Sociedade dos Poetas Mortos, devido a tragédia que se deu pela morte de um aluno. Um dos alunos conhecido por Cameron, afirma a existência dessa sociedade para os diretores do colégio. E ao avisar sobre o que fez aos seus amigos que também participavam da sociedade é humilhado e tratado como traíra.

 

E neste ponto podemos nos questionar sobre qual atitude do aluno seria realmente ética, e carregaria uma moralidade verdadeira. O que seria realmente ético: fazer o que ele fez e contar as autoridades da escola sobre a sociedade e suas características, ou não contar sobre a sociedade visando preservar o que deveria ser seus ideais, que até então afirmou seguir?

 

Este ponto trás consigo duas cargas diferentes, mas que podem ser de complexa análise, pois as duas contêm valores filosóficos e atitudes filosóficas que se conectam a deveres políticos e pessoais.

 

Se pensarmos de maneira Kantiana a atitude do Cameron estaria em certos aspectos correta, pois ele não teria o direito de mentir, logo seria de seu DEVER contar a verdade aos diretores do colégio sobre a sociedade, além de mencionar os seus participantes. Mencionei o termo em certos aspectos, pois este mesmo aluno agiu partindo de pressupostos como colocar a culpa no professor Keating, como influenciador e principal responsável pela morte do outro aluno, fatores que ao meu ver seriam apartados do ponto de vista Kantiano pela necessidade do BOM DEVER.

 

Mas há também uma ética encontrada em todo ideal filosófico da antiguidade que pode ser visto nesta cena, e que está relacionado a honra e defesa das próprias verdades.

 

Como demonstrou todos os outros alunos participantes da sociedade, inicialmente, o Cameron assim como nenhum outro deveria denunciar a sociedade, pois ela era a sustentação dos ideais e liberdades de cada aluno. Pois era nessa sociedade que eles se expressavam sem repressões externas, como os pais, o colégio e o meio social.

 

Entra em confronto então o DEVER que se tem com a instituição, ou o DEVER que se tem com os próprios ideais e afirmações. Como vemos no filme os alunos, por devidos fatores, são pressionados e assinam o termo que ‘autoriza’ a demissão do professor Keating. Porém é na cena final que os alunos demonstram que apesar das conseqüências burocráticas que foram tomadas o dever pessoal e intelectual adquirido nas aulas de inglês com o professor Keating estão vivos em todos aqueles que realmente aprenderam e se dedicaram, a algo maior que o conhecimento institucional, mas se realizarão como seres humanos, aristas e pensadores.

 

 

 

CONCLUSÃO

 

 

 

Podemos concluir que este filme levanta diversas questões que estão relacionadas indiretamente com a filosofia e seus ideais transformadores. Sua base está ligada à Educação e a sua maneira de ser transmitida. Mostrando que há possibilidades diferenciadas de desenvolvimento de um aluno, que estão relacionadas com mais coisas do que o conteúdo, mas também a paixão e o objetivo que se pretende.

 

Nessa passagem de renovação do ensino, temos eixos filosóficos, artísticos e éticos, além de outros que podem ser levantados. Todas estas formas de saberes e de atitudes constituirão o caráter dos alunos, e os levarão a conhecer melhor o que pretendem para si mesmo, e o que são capazes de fazer pelos próprios objetivos.

 

Este filme nos incentiva a procurar o que temos de melhor, e questionar a realidade que nos é dada, mas procurar um questionamento direcionado e maduro, para que não caiamos na futilidade e no desmerecimento.

 

É de um grande aprendizado se bem utilizado nas escolas, sendo um estímulo de mudança e incentivo para qualquer indivíduo, não somente alunos.

 

 

 

 

 

 

 

ADAPTAÇÃO PARA O ENSINO MÉDIO

 

 

 

Tomando como base o filme A SOCIEDADE DOS POETAS MORTOS procuraremos compreender as questões que podem ser encontradas no filme e que podem servir de base para uma discussão direcionada.

 

O filme procura elucidar as transformações que acontecerão com alguns alunos da escola Welton Academy, nos Estados Unidos após a chegada de um novo professor de Inglês, John Keating.

 

Keating muda a vida dos alunos a partir do momento que demonstra novas possibilidades de ensino, que não são estagnadas e nem tradicionalmente ultrapassadas.

 

Os alunos que por si já não concordavam com certas regras, e assim como todo estudante as ‘quebravam’ quando possível, perceberam na arte uma forma de expressão de verdadeiros ideais, e uma forma de buscar aquilo que representava suas próprias escolhas e opiniões. A arte também seria um escape de toda a pressão que sofriam na escola, na sociedade e principalmente na própria família. Já que a família era o principal sistema castrador de suas liberdades, mesmo que afirmassem como fundamento o bem que lhes desejavam.

 

Será na arte que esses alunos se conheceram como pensadores e questionadores da realidade, verão no professor Keating um exemplo de mudança e de escolhas. E criarão forças para lutarem pelos próprios desejos.

 

Mas o mais importante de todos esses pontos, não será simplesmente a busca pelas próprias verdades, mas sim a forma como devem se portar para que as alcance. É então ensinado no filme a necessidade de uma maturidade, e de um agir focado. Pois mesmo que suas idéias sejam valiosas e merecedoras de glória, elas têm que saber conquistar o espaço de maneira gradual e eficaz.

 

A partir deste filme proponho uma análise feita pela turma das questões cruciais que se pode encontrar neste filme, como: educação, filosofia, arte, ética, liberdade, relação familiar e outros. Além de desejar que seja realizada uma comparação entre as visões tradicionais de mundo e as inovações, sendo para isso necessário que se estabeleça uma relação entre os ditames do filme, e a sociedade e instituição de ensino que enfrentamos na atualidade. Sem esquecer de ressaltar as visões filosóficas que se podem ser referenciadas.