Gestalt(Ge.stalt) Sf, -en 1 figura, forma, feição, aparência. 2 estatura, conformação. 3 vulto.1

 



 

 

 

 



 

Escolhi para o presente trabalho, uma imagem classificada como gestáltica. Mas, o que isso significa? Bem, gestáltica seria uma derivação aportuguesada da palavra alemã Gestalt, um substantivo feminino, que tem como tradução o descrito na citação que precede a imagem. Diante de um significado que conjuga forma, aparência e conformação, a “correspondente portuguesa” derivada do verbete alemão, foi tomada livremente como o que é colocado diante dos olhos e por um efeito ilusório ligado à ótica, nos apresenta uma integração de partes em oposição à soma de um todo. A intenção de uma imagem gestáltica especificamente desde tipo é gerar, através do efeito ilusório ótico, a impossibilidade de se decidir o que ela representa.

 

Dificilmente uma aula de filosofia com imagens escapa ao tema da representação. De fato, o próprio termo imagem tem origem na palavra latina imago, de imitari: imitar, e assim, seu conceito seria concebido como uma representação mental que retrata um objeto externo percebido pelos sentidos2. Eu apresentaria neste momento aos alunos este conceito (representação) e faria um “link” importante com outro conceito, o de sentidos, estendendo-o até sua concepção como via de aquisição de conhecimento, passeando por exemplos históricos que ilustram a clássica máxima de uma parte importante da tradição filosófica que os acusam de serem uma fonte de ideias confusas e errôneas diminuindo sua importância epistemológica.

 

Nesta altura da aula, convidaria os alunos a decidirem sobre o que estão vendo na imagem apresentada. Após, solicitaria a argumentarem o quanto de influência dos sentidos existe na impossibilidade de se cumprir a tarefa pedida. Por fim, aplicaria as seguintes perguntas:

 

- A ideia confusa que a imagem expressa tem como fonte nosso sentido da visão?

 

- Seria verdadeira a afirmação de que a imagem representa um coelho ou uma ave? E esta afirmação poderia seria feita baseando-se apenas no sentido?

 

Desta forma, creio eu, o aluno teria uma ferramentas a mais para pensar sobre se os sentido realmente nos enganam, ou seja, se deles não temos exatamente as percepções correspondentes às maneiras de como as coisas se apresentam a nós.

 

Tudo culminaria numa avaliação da relação entre sentidos e juízo, levada a cabo antes da apresentação das diferentes correntes filosóficas e suas respectivas concepções acerca do assunto.

 

 

 

1 MICHAELIS, Moderno Dicionário: Alemão/Português. Disponível em: <http://michaelis.uol.com.br/escolar/alemao/index.php>. 13 de julho de 2013.

 

 

2 JAPIASSÚ, Hilton. Dicionário básico de filosofia/ Hilton Japiassú, Danilo Marcondes .- 5. ed. - Rio de Janeiro: Ed. Jorge Zahar, 2008.