A liberdade faz parte da realidade humana. De acordo com Sartre, somos livres para tomar as nossas próprias decisões, porém, elas podem ter consequências.

Sartre faz uma reflexão sobre a liberdade e as condições que influenciam diretamente nos nossos atos.

A nossa liberdade pode comprometer diretamente na liberdade dos outros, por isso é necessária uma mediação, a ética. Somos absolutamente responsáveis por nossos atos.

A nossa liberdade está conectada com a liberdade dos outros. Se somos seres livres individuais, por que devemos nos preocupar com a liberdade do outro? A nossa liberdade está ligada à nossa existência, e a nossa existência ligada a existência dos outros.

“O outro é indispensável à minha existência tanto quanto, aliás, ao conhecimento que tenho de mim mesmo”.

Sartre afirma também que nossas escolhas têm influência nas escolhas dos outros, e dessa forma é necessária uma escolha responsável, que seria a ética. A convivência com os outros pode ser bastante difícil, e a ética é o que a torna possível.

Submeter-se a liberdade dos outros, leis e etc. pode causar a impressão de estar abrindo mão da liberdade. Porém temos justamente a liberdade de sermos éticos ou não.

Como nada é predestinado, a todo momento devemos tomar decisões sobre nossas ações e as devidas consequências. Plena liberdade do ser humano.

 

A imagem escolhida representa essa ligação entre liberdade e ética, ou, de forma grosseira, liberdade e “fazer o que é certo ou não”. Uma pessoa que tem o poder de escolha que depende apenas dela.