Summer, The Lower East Side” 1937 - Arthur Fellig (Weegee)

 

 

 

Você é feliz? O que significa a felicidade? A felicidade é possível? Como é a sua felicidade ou como você é feliz?

 

 

 

A partir da fotografia de Arthur Fellig, podemos refletir sobre o que é a Felicidade partindo da ideia aristotélica de que a felicidade só é alcançada pelo homem quando este alcança uma vida virtuosa. O que significa a felicidade para cada um de nós, e uma vida virtuosa? Na fotografia observamos crianças moradoras Lower East Side, um bairro da região Sudeste de Nova York, época da devastadora crise econômica. A partir da fotografia e do contexto onde ela foi feita podemos indagar: as crianças na imagem são felizes ou estão felizes? A felicidade compreende um estado permanente ou um momento?

 

O objetivo não é descaracterizar o conceito de felicidade, tornando claro que esse conceito é algo próprio da subjetividade, mas sim construir juntamente com os alunos as bases de uma reflexão em torno do tema abordado. É preciso que os alunos sejam levados a uma profunda reflexão, para que cheguem a construção de um conceito e que reflitam de que maneira este conceito foi construindo, partindo de suas próprias vivências.

 

Ao longo de toda a História da Filosofia foram atribuídos à felicidade inúmeros significados, para o Hedonismo a felicidade é diferente do prazer, pois o prazer possui um fim em si mesmo. Platão já atribuía à felicidade uma espécie de virtude, ou seja, a felicidade condiz com os deveres a serem cumpridos, não pelo homem, mas sim pela alma.

 

A felicidade no sentido aristotélico ainda é de certa maneira uma contemplação, contudo, inclui a satisfação das necessidades do homem, da vida mundana, é preciso que o homem respeite os valores morais, tenha uma vida virtuosa, que aja corretamente, a sua ação não se manifesta em um contexto isolado, o homem age para com o outro, nesse sentido a felicidade do outro também depende da ação de cada um, no sentido de agir corretamente, e não delegando a felicidade do outro em nossa responsabilidade.

 

É possível levantarmos algumas questões a serem trabalhadas com os alunos:

 

Você é feliz? O que significa a felicidade? A felicidade é possível? Como é a sua felicidade ou como você é feliz?

 

 

 

A felicidade não exclui as realizações externas, mas ela não pode ser pautada apenas nestas. A felicidade é alcançada quando o homem atinge uma vida virtuosa. A felicidade se desenvolve através de cinco dimensões a quais compreende Aristóteles, como fundamentais para que alcancemos a felicidade.

 

Contextualizar a conceituação da felicidade a partir da vivência dos alunos é essencial para o êxito da atividade proposta. Pensar a realidade na qual não apenas estamos inseridos, mas construímos também a partir da imagem apresentada é o principal objetivo da atividade.

 

A atividade com os alunos será finalizada com os alunos utilizando uma foto de seu acervo pessoal, ou imagem que queiram para que apresentem baseando-se na imagem o que compreendem por felicidade e o que entendem por felicidade na imagem escolhido.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Referências Bibliográficas:

 

ABBAGNANO, Nicola. Dicionário de Filosofia. Trad.: Alfredo Bosi. 5 Ed. São Paulo: Martins Fontes, 2007

 

ARANHA, Maria Lúcia de Arruda e MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando introdução à Filosofia. 4 Ed. São Paulo: Moderna, 2009.

 

PEGORARO, Olinto. Introdução à Ética Contemporânea. Rio de Janeiro: Uapê, 2005.